sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Grupo Taboa do Oiapoque ao XURI

Grupo Taboa nos "entrelugares" de Luzimar Nunes de Brito

Na ultima terça- feira  o projeto VEM com o grupo taboa fez uma conexão com a professora de matemática e pesquisadora Luzimar Nunes de Brito.
Trata-se do projeto "Andreziando os entrelugares" que fala sobre os processos de escolarização de jovens e adultos do campo e da cidade: O entre lugar das práticas educativas.
Um entrelugar não é nem campo nem cidade, é apenas um "entrelugar" fica entre, nem antes nem depois.
O Xuri é considerado uma Zona Rural e fica logo após ao bairro Lagoa de Jabaeté (depois de Terra Vermelha), de Cidade da Barra (onde nos deslocamos) até o Xuri é pouco mais de uma hora.
A pesquisa de campo era André Vinicius e Dona Zuleima (mãe de André) que conta um pouco sobre a dificuldade que teve pra terminar o ensino médio.
André conta que conclui o ensino médio na escola EEEFM Marcílio Dias na Barra do Jucú. Até ano passado nenhuma linha de ônibus passava pelo XURI(hoje existe uma linha que sai do T. de Itaparica 12:30 e 20:40) para ir a escola tiha que pedir carona e muitas vezes virava madrugada na Rodovia do Sol.
O video fala da oponião dos donos da granja Sobreiro onde André trabalha no regime de alternância (estuda e trabalha) e conta a percepção de André e Dona Zuleima.


COntinua....

domingo, 22 de agosto de 2010

Grupo Taboa

De ambientes brejosos ou pantanosos o grupo "Taboa"  é composto por Josi Gallina, Layz Cunha e Moema Freitas.
    Josi, é músico educadora ( formada em música pela UFES), de 2007 pra cá desenvolveu projetos na área de musica e educação, com cantores malditos(Itamar Assumpção,Sérgio Sampaio,Tom Zé, dentre outros...)
Produziu a mostra cultural da escola Alger Ribeiro Bossois em 2007 com oficina de quadrinho  com a temática de itamar assumpção, em 2008 com a história de Sérgio Sampaio, já em 2009 produziu um Video Clip da musica " não buzine que eu estou paquerando" de TOM ZÉ.
Hoje desenvolve trabalhos com animação(stop motion, blender) e está trabalhando em uma animação com os alunos do  VEM.
    Layz, ex aluna do IFES ( antigo CEFETES onde concluiu curso técnico), sempre esteve inserida no movimento artistico e cultural , participou do projeto FEMININA, e desenvolveu a produção de vídeos junto com a amiga videomaker Driely Rodrigues dentre outros projetos...
Participou do desenvolvimento de criação do VEM em 2009  onde foi convidada  a fazer parte  do projeto.
Hoje é estudante do Curso de fotografia e desenvolve trabalhos na área.
    Moema,foi aluna da FAFI (escola de teatro e dança), onde desenvolveu trabalhos de expressão corporal teatro e dança. No ano de 2007 junto com os amigos Macaléu Borges e Ná Valliate produziu o primeiro trabalho de pintura e expressão corporal  "Lembrar da  Voz do Corpo". (http://baratapsicodelica.blogspot.com/2009/11/lembrar-da-voz-do-corpo.html)
 Em 2008 na Bahia junto com Cauê Tupi (artista plástico e fotógrafo) desenvolveu projetos de pintura corporal  com direito a laboratório indígena, assim nasceu o "TUPINAMBAS"
http://baratapsicodelica.blogspot.com/2009/11/lembrar-da-voz-do-corpo.html
Em 2008  Fez parte do projeto DE BUTUCA de Sandro Juliate e Fabiola Melca, onde nasceu o documentário "O canto do velho bandido" (um documentário sobre Sérgio Sampaio)
Voltando a Bahia em 2009 Moema  entra  numa onda experimantal Vídeos filmados e editados no celular
http://www.youtube.com/watch?v=ApQrA_f6DBM&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=NoW0hit6y6Y
Nessa época começa a escrever um projeto que falava de audiovisual,celular, acessibilidade e uma idéia na cabeça (era a visão do espectador).
 O projeto de Josi Gallina e Moema Freitas que não tinha nome ganhou um  nome VEM
Vídeo, por que documenta, olha!,grava!. Experimental, por que é um grande experimento
Móbile  por que é mobilidade (celular cibershot, filmadora).
Hoje além do projeto Moema faz técnico de Rádio e TV no CEET Vasco Coutinho e Dá oficinas de expressão corporal.
O experimento está formado! Uma musicista animadora. Uma técnica em estradas fotógrafa e Uma atriz videomaker.

domingo, 15 de agosto de 2010

Aula Stop Motion

video

Aula de Stop Motion

video

Logomarcas Animadas- Produção

<>
  • Adicionar legenda

Produção das Logomarcas Animadas

Uma Breve história do VEM

        O projeto de vídeo experimental móbile já vem de outras vidas.
O primeiro experimento aconteceu em 2007, com a primeira Mostra Cultural da escola Alger Ribeiro Bossois. Digo a primeira mostra cultural por se tratar de CULTURA, Já que nas outras edições não teve merecimento o a seu nome.
         Tudo começa quando uma professora de música, um professor de português e uma aluna se juntam. Uma união de idéias e afinidades que culminou em boas histórias e em alguns projetos, além do projeto de família (tio Rodrigo, mamãe Josi , filha Moa).
Pessoas que em alguma hora da vida se encontra e faz uma história.
         A primeira mostra cultural em 2007 foi sobre Itamar Assumpção, ”Benedito João do Santo Silva Beléléu, vulgo nego dito nego dito cascavé” (♪), trouxe grande estranhamento ao público escolar. A oficina conciliou quadrinho, música e poesia, e foi documentada através da fotografia.
        Já em 2008 surgiu a idéia de resgate de um cara aqui de Cachoeiro, vulgo maldito, magro e com letras encantadoras encantou de vez Cidade da Barra, reza a lenda que até hoje tem aluno cantarolando Sergio Sampaio. Um projeto de Josiana Galina professora de Música e Rodrigo Pitta Professor de português. Aliados com as disciplinas de historia e artes, com participação especial de Juliano Gauche e Julio Santos dando pitaco, e interpretando as musicas durante a mostra. Tudo seria documentado por Fabiola Melca, Moema Freitas e Sandro Juliate, fruto de outro projeto. O "DE BUTUCA", assim foi e foi assim que surgiu “O canto do velho bandido”, documentário filmado durante a mostra cultural de 2008.
        Em 2009 surge uma Overdose de maluquices de Inventos e de música Boa, estávamos falando de Tom Zé, e fomos aplaudidos de pé pelos alunos, ou melhor, nós aplaudimos de pé os alunos pelo empenho e disposição que tiveram para encarar e prestigiar Tom Zé.
Produziram um roteiro, arrumaram o figurino e filmaram um vídeo clipe e apelidaram de projeto TZ afinal já eram íntimos de tom Zé.
        2010!!!!!“A cá” estamos nós.
Ainda finalizando o projeto T Z rolaram boatos de “um tal” de Rede Cultura Jovem... "Se inscreve lá"... "Olha lá"... "é bacana"...
E lá vamos nós com várias idéias na cabeça e sem nenhuma camerazinha na mão ( no sentido mais pejorativo da palavra).
As intenções eram boas, continuar com o projeto com mais infra estrutura, mais equipamento mais suporte. . Mais... Mais... Mais. .
Passamos!
O projeto era o Vem, (era não é!) uma união de tudo o que já havíamos feito e com abertura para novas idéias. Daí surge Lays ou Lálá para os mais íntimos.
Lálá é uma menina dedicada, gosta de cinema faz fotografia e adora uma novidade faz jus as suas idéias e casou perfeitamente com o nosso propósito, é da família!E já faz parte do bando. Bando que tem nome, TABOA.

Por que TABOA?
De ambientes Brejosos ou pantanosos, isso já explica muita coisa. Cidade da Barra antes mesmo de ser Cidade da Barra era Um Grande “taboazeiro”, não existiam casas ruas ou pessoas, só existiam sapos e taboas. Depois dos aterros, movimentos sem terra, e aquela grande história de como povoar uma cidade, a grande fazenda Barra do Jucú se transformou em bairros, se transformou também na famosa região5 (Cidade da Barra, São Conrrado,Terra Vermelha João, Goulart e por aí vai!) que hoje anos depois faz honra ao nome do nosso grupo TABOA,Ficamos orgulhosas por pertencer a um grupo com um nome tão carregado de história e lama!E ainda há vestígios de taboas e brejos e etç...

Há galera! Só uma lembrança, não é tábua (ou talba como alguns preferem chamar) é taboa (Tá-bô-Á se pronuncia assim RS).
Essa é uma breve história do VEM, pessoas em comuns com idéias em comuns que mudam um Meio.
Que essas pessoas do meio conhecerão outras pessoas em comuns que terão outras idéias que irá culminar em outros projetos que mudarão outros meios.
Essa é a proposta do VEM
Expansão, informação, mobilidade, bando!
VEM!

"Vem cá vem rir e lembrar" ()



BÔNus
O canto do velho bandido

http://www.vimeo.com/12551533

Poesia feita por uma aluna durante o projeto Sérgio Sampaio 2008

Sérgio Sampaio, considerado maldito

Fazia tudo esquisito
Mas não fazia pra agradar

Eu também quero botar meu bloco na rua
Pois alguém à sua altura
Teria músicas pra ensinar

Pois agora eu não quero lero, lero
Eu só quero, quero, quero
É mesmo poder cantar

Sérgio Sampaio, depois que você morreu
Sua música se esqueceu
E não voltaram a escutar

Pois agora estou aqui
Você faz parte de mim
Vou a todos conquistar

Aluna: Sara Ester Dias Série 7ª C




 
Projeto Tom ZÉ 2009

O que é o VEM??

O Projeto VEM são vídeos filmados por meios móveis acessíveis.


É dar utilidade a ferramenta que o jovem carrega no bolso (celular, por exemplo). E assim, através do fazer criativo o aprendiz se entrega se envolve e se mobiliza para a reconstrução do fazer, do criar, do descobrir, do aprender, pois acredita-se que o trabalho com a arte envolve o sujeito em toda a sua corporeidade.

O núcleo de produção de Vídeo Experimental Móbile acontece nas dependências da UMEF “Alger Ribeiro Bossois” (localizada em Cidade da Barra, Vila Velha – ES) durante o segundo semestre de 2010, com ênfase na participação dos alunos dos 9os anos.

Já foram desenvolvidos trabalhos de resgate cultural, com a temática de Itamar Assumpção, Sérgio Sampaio e Tom Zé. As atividades do núcleo virão atender a necessidade de inserção do processo de criação audiovisual como possibilidade educativa.